Psicóloga Eliana Di Sarno

Orientação de Pais

A Orientação de Pais (O.P.) é uma modalidade de atendimento infantil que pode ocorrer de forma exclusiva ou complementar ao atendimento da criança ou do dolescente. Ela é caracterizada por sessões nas quais o(s) responsável (is) pela criança participa(m) diretamente e discute(m) com o terapeuta estratégias de modificação do comportamento da criança. A terapia comportamental infantil quase sempre envolveu os pais no processo terapêutico de uma criança.

Acreditamos que o comportamento infantil, seja ele adequado ou não, é resultado da interação da criança com o contexto histórico e imediato, e são desenvolvidos de acordo com as oportunidades oferecidas pelo nosso ambiente. Ademais, deve ser reforçado pelas alterações que provoca no ambiente para ser mantido. Partindo destas premissas, a O.P. pode ser uma das maneiras mais efetivas de modificação das contingências familiares que determinaram e mantêm o comportamento da criança.

São os pais os que têm mais condições de alterar as contingências controladoras pois dispõem dos reforçadores envolvidos em tal manutenção. Da mesma forma, vale ressaltar que os comportamentos, mesmo quando inadequados, fazem parte de um sistema. Assim, um ‘distúrbio’ de comportamento de um dos filhos pode ser extremamente reforçador para o sistema familiar, o que ao mesmo tempo acrescenta importância à O.P., mas torna todo o processo terapêutico mais complexo.

Assim, um déficit comportamental infantil que está trazendo sofrimento para a criança e para sua família pode ser considerado como decorrente da falta de habilidade de ensino dos comportamentos adequados pelos pais. Assim, a O.P. pode favorecer a modificação do comportamento do filho pela superação das dificuldades dos pais em ensinar tal comportamento. Uma criança que expressa alguma dificuldade no ambiente familiar está, sob nossa perspectiva, tentando resolver um problema e não criar um.

Todos os direitos reservados à Elaine de Sarno. Powered by Link e Cérebro